APPACDM de Coimbra apresenta projetos tecnológicos ao serviço da deficiência

A APPACDM (Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental) de Coimbra aposta, cada vez mais, na tecnologia e na ciência como ferramentas ao serviço da deficiência intelectual. No Centro de Atividades Ocupacionais (CAO) de S.Silvestre esta tendência é cada vez mais visível. Nos vários espaços do CAO é possível ver os utentes a utilizarem tablets e aplicações móveis, o computador SiosLIfe, entre outros. Ao mesmo tempo, esta Unidade Funcional alberga a mais recente ferramenta tecnológica: uma impressora 3D. O objetivo desta nova tecnologia é a criação de ajudas técnicas para utilização dos utentes no seu dia-a-dia. Estas ferramentas tecnológicas foram apresentadas à comunicação social no dia 17 de maio.

A siosLife, plataforma interativa de fácil utilização permite o acesso a novas tecnologias com soluções adaptadas às suas características e necessidades dos clientes, possibilitando a manutenção e aquisição de competências cognitivas e motoras relacionadas com as atividades que podem ser desenvolvidas. Para tal, tem um ecrã de toque, sensores de movimento numa câmara para realização de atividades motoras, comandos de voz e gestos. O ecrã é ergonómico, pois a posição do equipamento é ajustável consoante as caracterísiticas físicas dos utilizadores.

Tem disponível várias aplicações que permitem a intervenção ao nível das competências cognitivas (memória, atenção, velocidade de processamento da informação) e motoras (coordenação motora, utilização dos membros superiores, conseguindo em algumas atividades coordenar com os membros inferiores), por exemplo puzzle’s, jogos de tocar nas formas/insetos que aparecem, jogos de palavras, jogos de números, jogo da memória, jogos de apanhar fruta/obstáculos onde se conseguem visualizar a si e aos objetos que vão surgindo no ecrã e que devem alcançar/tocar.

No dia 29 de dezembro de 2017, a APPACDM de Coimbra lançou a aplicação móvel Explor’House. Esta trata-se de uma aplicação para telemóvel e/ou tablet na qual são realizadas tarefas do quotidiano nas diferentes divisões de uma casa, com a possibilidade de explorar outras atividades, como jogos e puzzles, desenvolvido por Ana Mendes (Terapeuta Ocupacional da APPACDM de Coimbra) e Jorge Costa. Com o recurso a esta aplicação existe intervenção ao nível das funções cognitivas, com repercussões na autonomia em atividades da vida diária, bem como na qualidade de vida de jovens/adultos com deficiência intelectual, nos vários contextos de vida.

Criar uma aplicação com o cenário virtual de uma casa para realização de diferentes tarefas em cada divisão, onde o indivíduo participa nas rotinas diárias de uma família, foi o motor impulsionador do projeto, co-financiado pelo INR. Este surge da necessidade e importância constante em intervir ao nível das atividades de vida diária, como a higiene dentária, o vestir, entre outras, abordando os objetos utilizados e a sequenciação das diferentes ações de uma forma mais dinâmica. Através do seguinte vídeo é possível ver algumas partes da nossa aplicação  e as reações de alguns dos utilizadores da mesma: https://www.facebook.com/appacdm.coimbra/videos/791025541087643/

Quanto à utilização dos tablets, estes permitem trabalhar a autonomia, a comunicação e competências de interação e motoras. Alguns utentes utilizam redes sociais, o que permite trabalhar as suas competências ao nível social. Par aalém disso, é também comum utilizarem os tablets para realizarem pesquisas para trabalhos no CAO, como imagens e textos. Trabalham, igualmente, a sua autonomia. Trata-se de uma ferramenta que motiva particularmente os utentes e que permite não só uma maior interação entre estes e os terapeutas do CAO, mas também uma melhoria na interação entre utentes. Nos utentes com deficiência profunda é comum a utilização dos tablets para ouvir música e trabalhar jogos com música, possibilitando estímulos a nível visual e auditivo.

Em relação à impressora 3D, o projeto ”Tecnologia 3D ao serviço da deficiência” da APPACDM de Coimbra visa a criação de produtos de apoio feitos à medida para melhorar a autonomia diária de quem mais precisa. A iniciativa é realizada em parceria com a empresa Sleek Lab, sob a premissa #3Dprint4Good. Através de impressão 3D, é possível construir ajudas técnicas que permitem a melhoria da qualidade de vida da pessoa com deficiência. Estes apoios auxiliam em tarefas do quotidiano como a alimentação, a escrita, a marcha, entre outros. São peças realizadas através de uma impressora 3D e que permitem, por exemplo, a criação de um dispositivo que engrossa o tamanho de um lápis, facilitando o manuseamento do mesmo, para pessoas com dificuldades nessa tarefa. Apesar de a impressora estar sediada no CAO de S.Silvestre, esta está ao serviço de todas as unidades da APPACDM de Coimbra e a instituição pretende tornar-se um centro de referência das ajudas técnicas.

APPACDM de Coimbra apresenta projetos tecnológicos ao serviço da deficiência